Crisma ou Confirmação: considerado o sacramento da maturidade cristã

O Sacramento da confirmação é considerado o sacramento da maturidade cristã, que habilita o fiel a dar testemunho de Cristo de maneira adulta.

Na antiga aliança, os profetas já anunciavam a comunicação do Espírito esperado (cf. Is 11,2) e ao povo messiânico. No Novo Testamento toda a vida e a missão de Jesus se desenvolvem numa total comunhão com o Espírito Santo, que os Apóstolos receberam em Pentecostes e anunciam “as maravilhas de Deus” (cf. At 2,11). Comunicam aos neobatizados, mediante a imposição de mãos, o dom do mesmo Espírito.

Os apóstolos, para cumprir a vontade de Cristo, comunicaram aos neófitos, pela imposição das mãos, o dom do Espírito Santo que leva a graça do Batismo à sua consumação. A imposição das mãos é com razão reconhecida pela tradição católica como a origem do sacramento da Confirmação que perpetua, na Igreja, a graça de Pentecostes. Para melhor significar o dom do Espírito Santo, acrescentou-se à imposição das mãos uma unção com óleo perfumado (crisma). Esta unção ilustra o nome de cristão, que significa ungido e que deriva a sua origem do próprio nome de Cristo, ele que “Deus ungiu com o Espírito Santo” (cf. At 10,38).

O efeito da Confirmação é a especial efusão do Espírito Santo, como a de Pentecostes, exprimindo um caráter indelével e produz um crescimento da graça batismal: enraíza mais profundamente na filiação divina; une mais solidamente a Cristo e a sua Igreja; aumenta na alma os dons do Espírito Santo e dá força especial para testemunhar a fé cristã.

O ministro originário é o bispo. Manifesta-se assim a ligação do crismado com a Igreja na sua dimensão apostólica. Quando é o presbítero que confere esse sacramento (em caso de necessidade), a ligação com o bispo e com a Igreja é expressa pelo presbítero, colaborador do bispo, e pelo sagrado crisma, consagrado pelo próprio bispo.

Durante a missa, após a proclamação do evangelho, o bispo dirige algumas palavras aos confirmandos explicando o que irão receber, depois eles renovam as promessas do batismo, vem em seguida a imposição de mãos, feita a imposição de mãos o padrinho apresenta o candidato, o bispo põe a mão direita sobre o ombro em sinal de aceitação e o unge com o óleo na testa.

O rito da Confirmação é a unção com o sagrado crisma (óleo misturado com bálsamo, consagrado pelo bispo), que se faz com a imposição da mão por parte do ministro que pronuncia as palavras sacramentais próprias do rito: “Recebe por este sinal o Espírito Santo, Dom de Deus”.

Pe. Sidnei Rodrigues Ribeiro

Revisão: Pe. Wilson Cardoso de Sá

leia também