Emergência Covid-19: doação da Polônia ao Vaticano e à Itália

Dois caminhões com equipamentos médicos para atender às necessidades ligadas à pandemia chegaram nesta sexta-feira ao Vaticano, fruto da generosidade da nação polonesa. Conosco o embaixador da Polônia junto à Santa Sé, Janusz Kotański.

Gabriella Ceraso e Amedeo Lomonaco – Cidade do Vaticano

Graças à solidariedade da Polônia, muitas máscaras, desinfetantes e outros instrumentos de saúde chegaram ao Vaticano, nesta sexta-feira (08/05), para enfrentar esse período de emergência ligado ao Covid-19.

A doação preciosa foi precedida por uma conversa, nos dias passados, entre o Papa Francisco e o presidente polonês, Andrzej Duda. Um papel fundamental foi desempenhado pela Embaixada da Polônia junto à Santa Sé e também pelo esmoleiro apostólico, o cardeal polonês Konrad Krajewski, que incansavelmente leva ao mundo a carícia e a solidariedade do Papa, expressas nas muitas atividades da Igreja em favor dos necessitados.

A doação especial de hoje é “um sinal que confirma a proverbial solidariedade da nação polonesa”, sublinha o embaixador da Polônia junto à Santa Sé, Janusz Kotański.

Kotański: A solidariedade é a nossa especialidade. É uma especialidade polonesa. O presente para a Cidade do Vaticano é destinado aos pobres e doentes. Há muitas máscaras e equipamentos de saúde para os italianos, para a Cidade do Vaticano, para a Gendarmaria e também para a Guarda Suíça.

Como nasceu essa iniciativa?

Kotański: O presidente polonês, Andrzej Duda, conversou com o Papa Francisco. Então, depois de 8 dias, oferecemos nossa ajuda, de coração, para a Cidade do Vaticano. E nisso o cardeal Konrad Krajewski nos ajudou.

O cardeal Krajewski faz circular a caridade que chega ao Vaticano e do Vaticano. É um viajante incansável em nome do Papa…

Kotański: Sim, para nós é mais fácil falar com o cardeal Krajewski porque é polonês.

Como a Polônia está vivendo essa emergência?

Kotański: A situação na Polônia não é a mesma que se vive na Itália. Não é uma situação trágica. Em nosso país, este é também um momento que apresenta dificuldades, mas não como na Itália, Espanha e Alemanha.

leia também