Itinerário vocacional

Vocação DISCERNIMENTO VOCACIONAL

“A vocação e o ministério sacerdotal são dons de Deus à sua Igreja para continuar a missão de Jesus Cristo, Bom Pastor.” (Documento 93, nº 42)

 

Deus chama o Homem a uma vida feliz, abastada de sentido e cheia de graça. Deste modo, todas as pessoas são convidadas a uma plena intimidade com Cristo, fazendo de sua história pessoal um perfeito “Evangelho Vivo”. Na dimensão vocacional, bem sabemos, que todos os filhos de Deus são impulsionados a uma meta, a saber, o Amor; toda a nossa existência é para o louvor e glória da Trindade. Mas, para que possamos viver intimamente neste “Amor de Deus”, Ele próprio, nos oferta um dom específico, que é uma via de realização pessoal e comunitária, e a esta via particular, chamamos de vocação específica.

Hoje queremos falar de um processo específico: o de discernimento vocacional dos candidatos ao sacerdócio. Sabemos que Deus fala concretamente na vida de nossos rapazes e os convida a uma etapa de discernimento vocacional, ou seja, o ingresso no seminário, que é o local por excelência de maturação humano-afetiva, devocional, de estudos e vida litúrgica. O seminário é o tempo de potencialização das virtudes pessoais, da significação da vida como dom, da abertura à fraternidade eclesial e do crescimento da vida espiritual.

Estes vocacionados permitem-se fazer a experiência da plena doação de si, como realidade de Intimidade com Cristo Senhor, em favor, do Povo de Deus, da qual fazem parte. Nas várias etapas da formação, o único fundamento norteador é o de torna-se “Amigo de Cristo”. Diz o Papa Francisco aos seminaristas e formadores: “A Formação nos seminários, deve ressaltar que Deus nos ama tanto, que deseja que participemos de Sua Vida e de Seu Projeto de Amor, doando-nos como vocacionados no anúncio do Santo Evangelho em todas as dimensões da sociedade”.

As etapas comuns e necessárias da formação presbiteral são as seguintes:

  1. Ingresso no Seminário Propedêutico Cristo Sacerdote em Naviraí, onde os seminaristas entram em contato com a vida fraterna, os estudos formativos, oração e serviço de animação vocacional;
  2. A etapa seguinte é chamada de “Maior”, pois os seminaristas começam os estudos acadêmicos: Filosofia e Teologia. Esta fase é realizada em Campo Grande, onde também, possuem vida fraterna e formações humano-afetivas e espirituais, de forma sistemática.
  3. A Filosofia compreende 03 (três) anos de estudos, que possibilita aos seminaristas um vasto conhecimento antropológico, ético e histórico;
  4. A Teologia num percurso de 04 (quatro) anos, os seminaristas entram contato com as matérias de fé, liturgia e moral.
  1. Logo após, os estudos e formações necessárias, os seminaristas, entram no período de “Estágio Pastoral”, onde numa paróquia, seminário ou função específica, colaboram na vida espiritual do Povo de Deus e aguardam a ordenação diaconal.

No processo de discernimento vocacional, em nossa Diocese, há um grupo de 13 seminaristas, que nas diferentes etapas, estão procurando responder a uma vida feliz e com sentido, a favor da vida eclesial. O Papa emérito Bento XVI enfatiza a importância do seminário:

“O seminário é tempo de caminho, de busca, mas, sobretudo, de descoberta de Cristo. De fato, na medida em que se faz uma experiência pessoal de Cristo, o jovem pode compreender verdadeiramente a sua vontade e em conseqüência a própria vocação. Quanto mais conheceis Jesus tanto mais o seu mistério os atrai; quanto mais o encontrais tanto mais estareis impulsionados a procurá-Lo. É um movimento do espírito que dura toda da vida e que encontra no seminário uma estação repleta de promessas, a sua primavera” (Bento XVI, Aos seminaristas em Colônia 19.08.05).

Por isso, vamos pedir ao Senhor que conceda a estes rapazes a graça de levar sua luz a milhares de pessoas: com o exemplo, a palavra e, sobretudo, com a oração.

Categorias: Artigos

Responder

Seu email não será publicado.

Powered by themekiller.com