Mantenham a fé apesar das provações, pede Asia Bibi em mensagem

Cristã paquistanesa que ficou presa por 10 anos sob acusação de blasfêmia apela aos fiéis para não vacilarem na fé

Da redação, com Fundação AIS

Através de um vídeo, Asia Bibi pronunciou-se diretamente pela primeira vez desde que mudou-se para o Canadá, após ter saído do Paquistão há cerca de quatro meses. No vídeo, a cristã reafirmou sua inocência e apelou aos fiéis para não vacilarem nas suas convicções, independentemente daquilo que tiverem de suportar. Na gravação, escuta-se apenas a voz de Asia Bibi enquanto a câmera foca o chão. Com a duração de cerca de dois minutos, a mensagem começa com a identificação da cristã: “Eu, Asia Bibi, filha de Salamat Masih, creio em Jesus”.

Depois, vem a afirmação que justifica a publicação do vídeo: “Não fiz nada de errado para merecer o que sofri durante dez anos. (…) Estive presa no corredor da morte. Acusaram-me de blasfêmia…”. Asia Bibi prossegue a sua mensagem afirmando que nunca deixou que a sua fé “se debilitasse” mesmo perante as situações mais delicadas. “A minha fé é suficientemente forte para vos pedir para não se afastarem do que acreditam. Para todas as pessoas, a minha mensagem é semelhante: por favor, mantenham-se fiéis às vossas crenças, mesmo que tenham de enfrentar a espada, permaneçam firmes na vossa fé, mesmo que tenham de sacrificar tudo”.

Leia também
.: A família de Asia Bibi agradece a Deus pela sua absolvição

Anteriormente, Asia Bibi chegou a falar com o jornal britânico The Telegraph, mas não diretamente. A paquistanesa vive atualmente em um local secreto por questões de segurança. Respondendo com mensagens de celular às perguntas dos jornalistas, Asia Bibi, revelou-se “tremendamente agradecida” pelos esforços da comunidade internacional na sua libertação, mas deixou um alerta sobre a situação em que se encontram muitas outras pessoas sobre as quais houve também acusações de blasfêmia.

“Existem muitos outros casos em que os acusados ​​estão presos há anos”, denunciou a cristã, pedindo “ao mundo inteiro” para prestar “atenção a esta questão”. E acusou as autoridades de não prestarem todas as condições necessárias para a defesa das pessoas vítimas desta lei. “A maneira como qualquer pessoa é acusada de blasfêmia sem qualquer investigação adequada, sem qualquer prova adequada, deve ser avaliada. Esta lei de blasfêmia deve ser revista e deve haver mecanismos de investigação adequados ao aplicar esta lei. Não devemos considerar ninguém pecador por esse ato sem nenhuma prova”.

Na mensagem de vídeo publicada no YouTube, Asia Bibi volta a erguer a sua voz na defesa das pessoas acusadas injustamente de blasfêmia no Paquistão. “Peço a todas as pessoas para não tomarem nenhuma decisão errada. Primeiro ouçam, e depois tomem as suas decisões. E para as pessoas que estão no corredor da morte por causa da blasfêmia, por favor, sejam positivos para com elas, visitem-nas e escutem-nas”.

Histórico

Após ter passado oito anos na cadeia, Asia Bibi viu a sua condenação à morte ser anulada em outubro do ano passado por uma decisão do Supremo Tribunal do Paquistão. Essa decisão provocou, no entanto, uma reação enorme por parte de grupos radicais liderados pelo partido Tehreek-e-Labbaik Pakistan e que se mostraram sempre contrários à sua libertação.

Em consequência dos protestos, que chegaram a paralisar algumas das principais cidades paquistanesas, o primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan, aceitou uma exigência dos manifestantes obrigando o Supremo Tribunal a rever a decisão tomada em outubro, o que aconteceu em janeiro deste ano. Asia Bibi foi levada então, juntamente com o marido, Ashiq, para um lugar seguro até que estivessem reunidas as condições mínimas de segurança para poder abandonar o país, o que se verificou em maio com a sua partida para o Canadá.

Fonte: CANÇÃO NOVA

 

leia também