Conselho de Leigos

“Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na Sociedade – Sal da Terra e Luz do Mundo” (Mt 5,13-16

“Não podemos levar o mundo todo a Cristo, mas podemos levar Cristo a todo mundo.”

CNLBDesde sempre o Leigo e a Leiga na Igreja tem um papel determinante: ao lado dos ministros ordenados são evangelizadores, catequistas e operadores nas obras sociais.

O Concilio Vaticano II reforçou esse papel de forma particular, e a Igreja em seus documentos e encíclicas não deixa de incentivar essa grande porção de Povo de Deus para que possa acompanhar as coisas temporais, em busca do Reino de Deus.

Em 1968 o documento de Medellin (n.10.2.6) destacava a importância da ação dos leigos cristãos na Igreja e na sociedade. Tal tema se repetiu no Documento de Puebla (1979- n.786) que identifica os leigos como homens e mulheres da Igreja no coração do mundo e homens e mulheres do mundo no coração da Igreja. O Documento de Santo Domingo (1992- n.98) os chamava de protagonistas da transformação da sociedade. Já o Documento de Aparecida (2007-n.213) pediu maior abertura de mentalidade para que entendam e acolham o ser e o fazer do leigo na Igreja, que por seu Batismo e Confirmação é discípulo e missionário de Jesus Cristo. Em 1999 o episcopado brasileiro lançou o documento 62 ”MISSÃO E MINISTÉRIOS DOS CRISTÃOS LEIGOS ” que oferece à Igreja orientação para o discernimento sobre o laicato e sua atuação na organização dos ministérios na comunidade.
Na Exortação Apostólica Evangelii Gaudium (n.20.24) o Papa Francisco lança um vigoroso chamado para que todo o povo de Deus saia para evangelizar. Por último, o Ano da misericórdia (08/12/2015 a 20/11/2016) convida a abrir as portas do coração à prática das obras da misericórdia e ir ao encontro dos excluídos ou discriminados.

Enfim a 54ª Assembleia dos Bispos do Brasil, em abril 2016, aprovou um novo documento reconhecendo o valor dos Leigos e atribuindo-lhes o papel de ser sal e luz na Igreja e na sociedade: “Cristãos leigos e leigas na Igreja e na Sociedade. Sal da terra e luz do mundo” (Doc. 105).

Os cristãos leigos são chamados a serem ativos (sujeitos) a partir da consciência batismal para atuar na Igreja e na sociedade. A realidade eclesial, pastoral e social dos desafios dos tempos atuais torna-se um forte apelo a uma avaliação, aprofundamento e abertura à vocação dos leigos.

Tendo consciência disso, a Igreja vem criando, assim, Conselhos específicos para dar mais vida à missão aos Leigos e Leigas confiada.

Os Conselhos de Leigos são organismos criados no nível paroquial, diocesano e regional, a fim de integrar o trabalho pastoral com o social e o político. Querem ser a voz da Igreja onde essa dificulta a chegar. Os Conselhos não são partidários, mas pretendem ajudar a discernir a política correta. Não são organismos puramente executores, mas incentivadores em todas as ações nas quais se requer clareza sobre a própria vocação, identidade e missão, para o enriquecimento da natureza eclesial. Pretendem ajudar a construir, no mundo, uma sociedade justa, humana e fraterna. São “espaços de serviços” constituídos em comunhão e unidade com as Igrejas particulares.

Os objetivos específicos de articulação e organização do Laicato são:

1 – Despertar a consciência da identidade, da vocação e missão dos leigos na busca de uma presença efetivamente transformadora no mundo e na Igreja.
2 – Levar os leigos a descobrirem e vivenciarem sua espiritualidade nos ambientes onde vivem e convivem, com sal e fermento.
3 – Incentivar a vivência eclesial pela troca de experiências e convívio entre os diversos movimentos, pastorais e organismos, no respeito mútuo e na busca de caminhos e respostas comuns.
4 – Criar e incentivar mecanismos para oferecer uma formação integral, gradual e permanente aos leigos, buscando capacitá-los para que respondam com eficácia aos desafios a que são chamados no exercício de sua vocação.
5 – Incentivar a articulação e organização dos leigos nos diferentes níveis da comunidade eclesial.
6 – Estimular a participação permanente de leigos nos processos de planejamento, decisão e avaliação da ação evangelizadora da Igreja.
7 – Representar o laicato junto aos organismos da Igreja Católica e outras Igrejas Cristãs e da própria sociedade.
8 – Fazer-se presente na caminhada ecumênica das Igrejas Cristãs.

Na Diocese de Navirai o Conselho de Leigos e Leigas (CDL) acaba de rer constituído. Tem como responsáveis o sr. Sergio Pedro Miotto, Coordenador do Regional O1, e o Sr. Moisés Batista dos Santos como Coordenador diocesano.

Powered by themekiller.com