Vigilância e educação para os meios tecnológicos para prevenir tráfico de pessoas, pede o Papa

“No campo da prevenção, gostaria de salientar como diversas pesquisas atestam que as organizações criminosas usam cada vez mais os modernos meios de comunicação para atrair as vítimas com o engano. Portanto, é necessário, por um lado, educar para o uso saudável dos meios tecnológicos; por outro, vigiar e chamar à responsabilidade os fornecedores desses serviços telemáticos.”

Jackson Erpen – Cidade do Vaticano

Entre os presentes na Praça São Pedro para o Angelus, um grupo de religiosas e leigos ligados à rede Thalita Kum, que fizeram uma caminhada de conscientização pela Via da Conciliação momentos antes, no contexto do Dia Mundial de Oração e Reflexão contra o Tráfico de Pessoas celebrado no sábado, 8 de fevereiro:

E logo após a oração do Angelus, o Papa falou sobre esta iniciativa de alcance mundial, enfatizando que é preciso educar “para o uso saudável dos meios tecnológicos”, visto serem meios usados por organizações criminosas para cooptar e aliciar suas vítimas:

Ontem, na memória litúrgica de Santa Josefina Bakhita, foi celebrado o Dia Mundial de Oração e Reflexão contra o Tráfico de Pessoas. Para curar esse flagelo – porque é um verdadeiro flagelo – que explora os mais fracos, é necessário o comprometimento de todos: instituições, associações e agências educativas. No campo da prevenção, gostaria de salientar como diversas pesquisas atestam que as organizações criminosas usam cada vez mais os modernos meios de comunicação para atrair as vítimas com o engano. Portanto, é necessário, por um lado, educar para o uso saudável dos meios tecnológicos; por outro, vigiar e chamar à responsabilidade os fornecedores desses serviços telemáticos [ndr – que diz respeito às sinergias entre a elaboração eletrônica e as telecomunicações].

leia também